20/07/10

Ministério da Cultura suspende demolição de antiga igreja

A antiga igreja de São Paulo, no centro histórico de Elvas, viu suspensa a ordem de demolição decretada pelo Ministério da Defesa, disse hoje à Agência Lusa a directora Regional de Cultura do Alentejo, Aurora Carapinha.
Datada do século XVIII, a igreja, cuja demolição foi suspensa pelos serviços do Ministério da Cultura, está situada na zona das muralhas de Elvas e encontra-se em ruínas há mais de um século.

O Ministério da Defesa, proprietário do edifício, pretendia efectuar a demolição do imóvel, na sequência do mau tempo registado no passado inverno, que levou à derrocada de paredes contíguas à da igreja.

'O Ministério da Defesa preparava-se para proceder à demolição da igreja, sem requerer junto da Direcção Regional de Cultura um parecer sobre o projecto. Assim que soubemos desta irregularidade, no passado dia 07 de Julho, procedemos logo à suspensão da intervenção', explicou Aurora Carapinha.

A mesma responsável explicou à Lusa que 'o Ministério da Defesa tem, agora, de apresentar um projecto de demolição, assinado por um arquitecto e não por um engenheiro militar e este será posteriormente analisado pela Direcção Regional de Cultura do Alentejo'.

Aurora Carapinha defendeu, no entanto, a manutenção da igreja de São Paulo.

'A igreja não é um edifício autónomo, ou seja, está integrada num conjunto de construções com um valor bastante relevante como é exemplo o Quartel de São Paulo', alegou.

A par deste facto, a Directora Regional de Cultura do Alentejo salientou a importância urbanística e arquitectónica da igreja.

'Trata-se de um edifício que está integrado na zona de protecção das muralhas de Elvas e constitui um símbolo da arquitectura do século XVIII', argumentou.

Também o Ministério do Ambiente suspendeu, a 07 de Julho, os trabalhos que visavam retirar ninhos instalados nas ruínas da igreja de São Paulo, onde nidifica uma das maiores colónias de andorinhão-preto do país, na sequência de uma providência cautelar interposta pela Associação Nacional de Conservação da Natureza (Quercus).

A conservação da igreja de São Paulo em Elvas está igualmente a ser defendida por um grupo de cidadãos da cidade, através de uma petição online lançada há mais de uma semana.

'Já recolhemos mais de 2 200 assinaturas com o objetivo de salvar a igreja. Não compreendemos como é que, uma cidade candidata a Património Mundial, pela UNESCO, não se preserva este tipo de monumentos', disse à Lusa Pedro Cidraes, promotor da petição.

'Acresce ainda o facto da fachada da igreja não estar em risco de ruína. Esta igreja foi lugar de culto dos Paulistas da Serra de Ossa, a única ordem masculina com origem no nosso país', esclareceu Pedro Cidraes.

A igreja de São Paulo integra o conjunto do antigo Quartel de São Paulo, onde esteve instalado o Batalhão de Caçadores 8 e onde fizeram recruta, nas décadas 60 e 70 do século passado, milhares de militares envolvidos na guerra colonial.

Sem comentários:

Enviar um comentário