01/04/11

Terras sem sombra


A MÚSICA SACRA O PATRIMÓNIO A BIODIVERSIDADE O UNIVERSO DAS CASTAS DOS VINHOS ALENTEJANOS O PRÉMIO INTERNACIONAL TERRAS SEM SOMBRA.
O calendário de ABRIL exibe três concertos a não perder: AD LIMINA, a 2 de Abril, na Igreja Matriz de Santiago Maior [classificada Monumento Nacional em 1922], em Santiago do Cacém, estreia em Portugal Il pianto di Maria, de Giovanni Ferrandini e faz a estreia absoluta de Peregrinação Interior: Cinco Sonetos Quinhentistas, de Alexandre ,Delgado, a qual resulta de uma encomenda do FTSS. A soprano espanhola María Bayo é solista deste concerto acompanhada pelos Divino Sospiro, sob a direcção de Massimo Mazzeo.
Quinze dias depois, a 16, tem lugar o concerto intitulado PEREGRINAÇÕES: NO 3.º
CENTENÁRIO DE D. MARIA BÁRBARA, PRINCESA DE PORTUGAL E RAINHA DE ESPANHA, na Igreja Matriz de Santo Ildefonso, em Almodôvar, o cravista francês Pierre Hantaï assinala o 3.º centenário do nascimento da princesa portuguesa com um programa preenchido com obras dos três principais nomes do período Barroco – Handel, Bach e Scarlatti.
PARA LÁ DO TEMPO fecha o mês de Abril, na noite de sábado, dia 30, no cenário privilegiado da Basílica Real de Nossa Senhora da Conceição [classificada como Imóvel de Interesse Público em 1993], em Castro Verde, que acolhe as obras Rothko Chapel, homenagem de Morton Feldman ao pintor Mark Rothko – e de quem Paolo Pinamonti trouxe a ópera Neither a Portugal pela primeira vez em 2004 – e Via Crucis de Franz Liszt.
São intérpretes Alexandre Delgado (viola), Kodo Yamagishi (piano/celesta), Rui Gomes (percussão) e o Coro da Arena de Verona, sob a direcção de Giovanni Andreoli.
MAIO protagoniza um concerto único, DIÁLOGOS, no sábado 28, na Igreja Matriz de São Cucufate, em Vila de Frades (Vidigueira). Único não só pelo programa que estreia na Península Ibérica a obra Ligatura – Message to Frances‐Marie, de György Kurtág, mas também pelo enquadramento extraordinário que resultará da presença de dois pianos de cauda na igreja. São solistas Marta Zabaleta e Miguel Borges Coelho. O programa inclui ainda as Transcrições para dois pianos por György Kurtág de Johann Sebastian Bach e Visions de l’Amen de Olivier Messiaen. A 18 de JUNHO o Festival Terras sem Sombra desloca‐se a Grândola para apresentar na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção, o programa LESTE/OESTE com obras de Sofia Gubaidulina e Johann Sebastian Bach interpretadas por Irene Lima (violoncelo) e Pedro Santos (acordeão).
A MÚSICA SACRA O PATRIMÓNIO A BIODIVERSIDADE O UNIVERSO DAS CASTAS DOS VINHOS ALENTEJANOS O PRÉMIO INTERNACIONAL TERRAS SEM SOMBRA TERRAS SEM SOMBRAwww.patrimoniodiocesebeja.coA noite quente alentejana de sábado, 9 de Julho apadrinha o concerto que fecha a edição de 2011 – EN PLEIN AIR, com um programa do qual se destacam o tenor Mário João Alves, a Banda Sinfónica da GNR e Marcello Panni na direcção musical. Tal como o título indica, o concerto tem lugar ao ar livre, no enquadramento prodigioso da Praça da República frente à Igreja da Misericórdia [classificada como Monumento Nacional em 1933]. Interpreta‐se pela primeira vez na Península Ibérica a obra de Marcello Panni, Missa brevis, ao lado de uma das páginas fundamentais da tradição francesa, a Symphonie funèbre et triomphale, de Hector Berlioz.

Sem comentários:

Enviar um comentário