09/01/15

VEJAM SÓ, MAIS UM MORTO>>>>É A SAÚDE QUE TEMOS. Este ministro trata-nos da saúde ! !

Um homem de 77 anos morreu depois de quatro horas à espera na urgência do Hospital de São Bernardo, em Setúbal. É a quarta morte que ocorre por demora nas urgências hospitalares desde 26 de dezembro. Os óbitos surgem num período marcado por uma elevada afluência aos hospitais, com tempos de espera a atingirem as 15 horas. Os familiares de Diamantino Teixeira exigem explicações da administração do hospital e admitem recorrer aos tribunais. A filha, Lurdes Nascimento, recordou que na sexta-feira passada chamou o INEM, por o pai estar a vomitar há mais de 24 horas. O idoso foi então transportado para o Hospital de Setúbal. O Centro Hospitalar de Setúbal explica que o "doente deu entrada no Serviço de Urgência no dia 2, às 21h42, transportado pelos bombeiros". "Foi triado às 21h51, tendo-lhe sido atribuída pulseira amarela", acrescenta. "O primeiro registo médico", sublinha a mesma fonte, "foi efetuado à 01h37". Quase quatro horas depois. O comunicado acrescenta que pelas "03h27 houve agravamento clínico súbito e foi feito encaminhamento para a Sala de Emergência". "Devido ao quadro clínico que apresentava e apesar de todos os esforços dos profissionais de saúde, o óbito registou-se às 05h05", conclui. Recorde-se que segunda-feira morreu uma idosa em Peniche. No dia anterior, foi um homem de 57 anos em Santa Maria da Feira. A 26 de dezembro, também nas urgências e ao fim de várias horas à espera, um homem de 80 anos morreu no Hospital de São José, em Lisboa. O frio e a gripe levaram a um aumento de utentes

Sem comentários:

Enviar um comentário