22/06/11

ALENTEJO:" DITOS DO POVO "

Igrejinha
Trata-se de uma freguesia do concelho de Arraiolos.
Segundo alguns ditos: Igrejinha terra da ciência. Terra dos doutores; Coimbra do Alentejo; A professora até sabe ler....levam o avião às costas.
Diz-se que é a terra da ciência ou terra dos doutores porque um seu natural se teria formado em medicina.
Mas há quem lhe chame com ironia a Coimbra do Alentejo, porque por lá passou um doutor... Aliás, também se diz que...a ciência na igrejinha é tanta que a professora até sabe ler....
 No Alto Alentejo, os habitantes de Vale do Peso (Concelho do Crato, Distrito de Portalegre) também são mimoseados com este dito.

Quanto ao levar o avião às costas, aconteceu que nos anos 40, uma avioneta, por razoes desconhecidas, fez uma aterragem de emergência num campo de cereais, no Monte dos Coelheiros, a escassos quilometros da vila – hoje em dia esse campo está transformado numa vinha. Quando foi colocado o problema da necessidade de deslocar a avioneta para a estrada, para efectuar a descolagem, o piloto teria sugerido a hipótese de se ir buscar um tractor, para a rebocar, mas os moradores entenderam que não era preciso: e, em conjunto, levaram a avioneta e depositaram-na na estrada.
Alguém diz que a avioneta aterrou ali no ano em que ele nasceu, 1941, ou “no ano do ciclone”.
Diz-se também que os igrejinhenses queriam fazer um campo de futebol, mas n tinham espaço suficiente. Então, alguém lembrou: - Não faz mal empurra-se a igreja (ou igrejinha) um pouco mais para lá. – e meteram mãos à obra, tiraram os casacos, puseram-nos no chão começaram a fazer força, empurrando o edifício. Tão entretidos estavam com a tarefa que passou um cigano outros dizem um maltês) e roubou-lhes os casacos. A certa altura, um deles olhou para ver se já tinham empurrado a igreja o suficiente, e então disse aos outros Eh, já chega não empurrem mais, que já nem sequer se vem os casacos” –

Os de Elvas, segundo ditos combinaram em desviar a Sé de Elvas, que estava a um canto, e queriam-na mais para o meio do largo. Ataram, um fio de lã à porta da igreja e foi o povo todo a puxar. Como o fio estendia, concluíram que o edifício se deslocava (...) reconheceu-se que a Sé tinha desandado, pois ficara debaixo dela o capote que um dos que puxava tinha tirado e posto ali para trabalhar mais à vontade. Há quem diga que foi um forasteiro que roubou o capote.

 DO LIVRO: DITOS E APODOS

Sem comentários:

Enviar um comentário