17/06/11

FESTIVAL TERRAS SEM SOMBRA EM GRÂNDOLA a sensibilidade e o virtuosismo do violoncelo e do acordeão


FESTIVAL TERRAS SEM SOMBRA EM GRÂNDOLA<br>
a sensibilidade e o virtuosismo do violoncelo e do acordeão
FESTIVAL TERRAS SEM SOMBRA EM GRÂNDOLA
a sensibilidade e o virtuosismo do violoncelo e do acordeão
A igreja Matriz de Grândola é a próxima paragem do Festival Terras sem Sombra, no dia 18 de Junho, pelas 21.30. Edifício característico da arquitectura pombalina, oferece o intimismo adequado, aproximando Sofia Gubaidulina e Johann Sebastian Bach num repertório explorado com sensibilidade e virtuosismo por Irene Lima no violoncelo e Pedro Santos no acordeão.
Leste/Oeste é o nome do concerto que aproxima três momentos culminantes d’As Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz, obra fundamental de Gubaidulina, compositora russa que revolucionou a música religiosa nos finais do século XX, e duas Suites para violoncelo de Bach, a n.º 1 em Sol Maior e a n.º 2 em Ré menor.
A MÚSICA NA SALVAGUARDA DO MONTADO DE SOBRO NA SERRA DE GRÃNDOLA

A presente edição do Festival alia-se às causas ambientais, concretamente a salvaguarda do montado, que tem um dos seus expoentes máximos na Serra de Grândola.
Na manhã do dia 19, a Herdade das Barradas da Serra, recebe um conjunto de iniciativas cujo objectivo é chamar a atenção para a importância natural e socioeconómica de um ecossistema muito particular, constituído por matas de sobreiros, que necessita de ser defendido.
A adopção de um sobreiral pela escola EB1–JI das Ameiras, a atribuição dos nomes de artistas presentes no festival a árvores centenárias, a colocação nos sobreiros de ninhos construídos com canudos de cortiça virgem, a realização de uma tiragem de cortiça e a sua associação a alguns dos melhores vinhos da região são algumas das acções agendadas.
Confirmadas estão as presenças da violoncelista Irene Lima e de Armando Sevinate Pinto, assessor da Presidência da República para a agricultura e mundo rural e presidente do conselho de curadores do Festival Terras sem Sombra.
O Festival é organizado pelo Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, em colaboração com o Município e Paróquia de Grândola, a que se juntam nesta acção de salvaguarda do montado a WWF - World Wide Fund for Nature – uma das organizações independentes de conservação da natureza mais influentes a nível mundial, que conta com mais de 5 milhões de apoiantes, o Instituto de Conservação da Natureza, o Instituto Superior de Agronomia, a Faculdade de Ciências de Lisboa, a Confederação dos Agricultores de Portugal, a ANSUB – Associação de Produtores Florestais do Vale do Sado, a APCOR – Associação Portuguesa de Cortiça e a Corticeira Amorim.

Sem comentários:

Enviar um comentário