08/09/11

A Ópera regressa a Estremoz pela mão da Contemporaneus que estreia, em 9 de Setembro, a obra “Così fan tutte” de W. A. Mozart

A Ópera regressa a Estremoz pela mão da Contemporaneus que estreia, em Setembro, a obra “Così fan tutte” de W. A. Mozart

A Contemporaneus, associação para a promoção da arte contemporânea apresenta em Estremoz a sua nova produção, a ópera "Così Fan Tutte" de W. A. Mozart, totalmente produzida no Alentejo, e que terá a sua estreia no próximo dia 9 de Setembro pelas 21h00 no Teatro Bernardim Ribeiro. Reconhecendo a forte ligação de Estremoz ao universo lírico, é com uma conhecida ópera de Mozart que o Teatro Bernardim Ribeiro dá início a sua temporada de programação 2011/2012.

"Così Fan Tutte", a penúltima ópera escrita por Mozart em 1790, é um drama lírico em 2 actos, que conta as histórias de amores, de fidelidade e infidelidade passadas em Nápoles nos finais do Séc. XVIII. Aparenta ser uma simples comédia de enganos, mais vai muito mais longe do que isso pois é, na verdade, uma bela história universal de amor e desengano, compreendida e identificada por todo o público, que já foi jovem, teve um primeiro amor e sofreu desgostos amorosos.

A Contemporaneus assumiu para o ano de 2011 o desafio de realizar uma ópera de Mozart, com a orquestra do Ensemble Contemporaneus e com um número de elementos mais alargado - seis cantores solistas e uma encenação contemporânea. Na interpretação estarão Alexis Heath (barítono), Carmen Matos (soprano), Joana Gil (soprano), João Merino (barítono), Marco Alves dos Santos (tenor) e Margarida Marreiros (mezzo-soprano). A encenação estará a cargo de Helena Estanislau e a direcção musical de Vera Batista.

Depois da estreia, a produção será apresentada também no Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre e no Teatro Curvo Semedo em Montemor-o-Novo, ficando disponível para circular pelas salas de espectáculos do país.

Reservas/Informações:

CME
Telef.: 268 339 216 ou E-mail: cultura@cm-estremoz.pt

Teatro Bernardim Ribeiro
Telef.: 268 339 222

A Contemporaneus, foi criada em 2005 como fruto do trabalho desenvolvido pelos músicos fundadores do Ensemble Contemporaneus, com o objectivo de criar uma estrutura que dirigisse administrativamente e artisticamente o Ensemble, e ao mesmo tempo criasse as condições para o desenvolvimento de um projecto artístico mais amplo e diversificado que a exclusiva actividade musical do Ensemble. Desde então a associação dinamiza e promove a música contemporânea portuguesa, trabalha no desenvolvimento da cultura nacional, na criação de hábitos regulares de fruição artística no público, para que o direito e livre acesso à cultura descritos na nossa Constituição seja uma realidade para todos. Em 2011, fruto de um excelente relacionamento com o Município de Estremoz, fixou a sua sede na cidade de Estremoz.

Desde a sua estreia, o Ensemble Contemporaneus tem apresentado nas suas temporadas musicais obras de diversos compositores portugueses e estrangeiros, dos quais destacamos Rogério Medeiros, Christopher Bochmann, Tiago Cutileiro, Ricardo Guerreiro, João Nascimento, Nuno Leal, Sérgio Azevedo, Bruno Soeiro, Gonçalo Lourenço, Djalmas Farias, Lindembergue Cardoso, Heitor Villa Lobos, David Heuser, Edgar Varése, Roberto Pérez, entre outros. Apresenta-se regularmente em concerto dentro e fora do teritório nacional, sob direcção de diversos maestros convidados, dos quais se destacam Rui Ribeiro, Pedro Amaral, Christopher Bochmann, Roberto Pérez e Vera Batista.

Produção Contemporaneus, Associação para a Promoção da Arte Contemporânea

Co-Produção Município de Estremoz

Apoios Direcção-Geral das Artes, Direcção Regional da Cultura do Alentejo, Fundação Eugénio de Almeida e Regimento de Cavalaria n.º 3

Sem comentários:

Enviar um comentário